Festival Comunitário Negro Zumbi havia sido realizado no município pela última vez em 1984.

Evento itinerante realizado anualmente no interior do estado de São Paulo, o Festival Comunitário Negro Zumbi (Feconezu) voltará a ser realizado no município de Rio Claro. A última vez que a cidade recebeu o evento foi em 1984. Esta será a 41ª edição do Feconezu.

O assunto foi tema de reunião quarta-feira (10) no paço municipal entre representantes da comunidade negra, prefeitura e Câmara de Vereadores. “Após 35 anos traremos de volta esse evento que mobiliza o interior do estado de São Paulo em torno dessa temática tão importante que é a valorização do negro na sociedade”, comenta o prefeito João Teixeira Junior, o Juninho da Padaria.

O Feconezu está previsto para ser realizado de 29 de novembro a primeiro de dezembro deste ano. “Os preparativos já estão em andamento”, informa a secretária municipal de Cultura, Daniela Ferraz. “Além do evento tradicionalmente atrair público de várias cidades, o fato de Rio Claro estar em região central do estado de São Paulo também deve contribuir para que tenhamos público expressivo no retorno do Feconezu ao município”, acrescenta, observando que, junto com o poder público, várias entidades relacionadas à comunidade negra estão envolvidas com a realização do evento.

O vereador Geraldo Voluntário, que tem incentivado ações culturais no município e também participou da reunião, destaca a importância do Feconezu. “Vamos dar todo apoio para que seja realizado com sucesso e, para isso, a prefeitura deverá contar com o envolvimento das secretarias municipais”, observou.

Além do prefeito, da secretária de Cultura e do vereador, participaram da reunião de quarta-feira a assessora de Direitos Raciais, Josiane Martins, a senhora Diva de Paula, do Conselho da Comunidade Negra, Welington de Oliveira, diretor do Fundo Social de Solidariedade, e Wesley da Silva, do coletivo Mãe África e da organização do Feconezu em Rio Claro.

O Festival Comunitário Negro Zumbi nasceu em 1978 e é realizado anualmente no interior do estado de São Paulo, como espaço de discussão das questões relacionadas à comunidade negra junto com atividades culturais e esportivas. É considerado um grande momento de união e troca de ideias e experiências.