A última compra de armas foi realizada pela Prefeitura em 1973

Trabalho em equipe, agilidade e comprometimento são os fatores que levam a Guarda Municipal de Cordeirópolis a ser aprovada pela maioria dos cordeiropolenses e ser referência em toda a região. Outra razão que leva este reconhecimento dos moradores, é a valorização dos agentes de segurança. Este dever, a atual gestão tem atribuído a cada dia, através de treinamentos, aquisição de novos equipamentos de segurança e veículos que auxiliam no trabalho desses profissionais. Nesta semana ocorreu uma conquista inédita em Cordeirópolis, o prefeito, Adinan Ortolan, anunciou a aquisição de novas armas para a GM, visto que a última compra foi realizada pela Prefeitura em 1973.

Em um encontro no gabinete, o prefeito se reuniu com o secretário de Governo e Segurança, Nivaldo Menezes, o comandante da Guarda Municipal, Irineu Ribeiro e o guarda civil e responsável pelo Centro de Vídeo de Monitoramento, Leonardo Maximiliano da Silva, para juntos assinarem a homologação da compra de novas armas. “Atualmente a Guarda trabalha com arma calibre 38 do ano de 1973, data da última compra realizada pela Prefeitura. Neste momento, a administração está comprando 35 novas armas de última geração, que foram homologadas pelo Exército brasileiro e que vem para auxiliar no trabalho dos membros da corporação”, relatou o prefeito.

Adinan ainda comentou sobre os novos investimentos para o próximo ano em relação a segurança. “Desde 2017 adquirimos novas viaturas, equipamentos de tecnologia, coletes balísticos, novos uniformes e agora são as armas. Em breve abriremos concurso público para contratação de mais guardas municipais para garantir ainda mais a segurança da população e reduzir os índices de criminalidade, ou seja, um grande ganho em termos de segurança”, relatou o prefeito.

O guarda civil, Leonardo Maximiliano da Silva, explica que os novos equipamentos são pistolas semi-automáticas fabricadas com fibra de carbono polímero, que são armamentos muito confiáveis que vão de encontro com os anseios da segurança. “Esse novo equipamento possui um fio eletrônico que acerta o alvo sem causar uma lesão mais grave e é possível fazer a mobilização do opressor sem levá-lo a óbito. É um armamento que vai proteger também o agente, pois é muito menos letal que uma arma de fogo. Em vista disso, a aquisição é muito importante, pois quem ganha é a população e o agente se sente mais seguro para realizar um bom trabalho” comentou o guarda.