Cão da raça pitbull não resistiu aos ferimentos e morreu após ter sido queimado por dono — Foto: Associação Limeirense de Proteção aos Animais
Anuncie aqui

Prazo para apresentação de defesa ou pagamento da multa é de 20 dias.

A Prefeitura de Limeira (SP), por meio do Departamento de Proteção e Bem-estar Animal (DPBEA), multou em R$ 14.591,50 o responsável por queimar e matar um cão da raça pitbull na última semana.

O valor foi fixado em 550 unidades fiscal do Estado de São Paulo (Ufesp), unidade utilizada para atualização de contratos e tributos estaduais, com base nas leis 9.605/98 e 650/2012. Neste ano, o valor de cada unidade foi fixado em R$ 26,53. De acordo com a Prefeitura, o prazo para apresentação de defesa ou pagamento da multa é de 20 dias.

Cão queimado vivo
Anuncie aqui

O cão da raça pitbull morreu na manhã de domingo (18), após ser encontrado na sexta-feira enrolado em um cobertor e queimado. O animal foi resgatado pela ONG Alpa e levado a um hospital veterinário. O cão recebeu dos voluntários da ONG o nome de Titan.

O animal estava em uma área verde entre os bairros Graminha e Jequitibás e foi socorrido após um homem que passava pelo local ter visto o fogo e ouvido gemidos e latidos do animal. Em seguida, a ONG foi acionada por ele.

Segundo a Alpa, o pitbull estava com muitos ferimentos nas costas, no rosto e nas patas. Ele foi levado ao hospital veterinário em estado grave, com rins comprometidos e sangue na urina.

Animal já tinha sinais de maus-tratos

Conforme o boletim de ocorrência, exames preliminares mostram que o pitbull já tinha sinais de maus-tratos, como mutilações na orelha, uma prática que foi proibida pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária. Em abril, quando o animal recebeu o microchip, ele não tinha as orelhas cortadas.

“O cão já tinha sinais de que havia sido espancado”, disse o coordenador do Garra. O cachorro deve passar por necrópsia.

A polícia também fez buscas na casa do homem para analisar as condições em que o pitbull vivia.

Depoimento e vídeo do crime

Na segunda-feira (19), o criminoso foi encontrado e levado pela polícia para prestar depoimento. Ele confessou ter colocado fogo no animal, alegando que o cachorro estava com uma doença, de acordo com a polícia.

Um vídeo mostrou o momento em que o suspeito colocou fogo no cão. O material foi entregue à Polícia Civil pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra).

Nas imagens, o homem desce do veículo, entra na mata e, minutos depois, deixa o local com o carro. As imagens mostram chamas e fumaça no ponto onde o animal foi deixado.

A polícia disse que o cão ficou queimando por cerca de 10 minutos até ser socorrido por pessoas vizinhas ao local. As imagens mostram ainda as pessoas chegando e apagando as chamas.

Fonte: G1 Piracicaba e Região

Anuncie aqui