Serviço já está funcionando para atender mulheres vítimas de violência doméstica.

O município de Rio Claro passa a contar com mais uma ferramenta de proteção às mulheres: a Patrulha Maria da Penha que foi lançada pela prefeitura nesta quarta-feira (12). O serviço, criado no âmbito da Guarda Civil Municipal (GCM), oferece atendimento personalizado a mulheres vítimas de violência doméstica que possuem medida protetiva expedida pela Justiça. A proposta é acompanhar de perto essas mulheres para garantir o efetivo cumprimento das medidas protetivas. A Patrulha Maria da Penha conta com viatura própria que funciona 24 horas e quatro equipes com oito guardas, sendo quatro homens e quatro mulheres

Autoridades e representantes de entidades que participaram da cerimônia de lançamento da Patrulha Maria da Penha elogiaram a iniciativa e ressaltaram a importância do serviço. “É um sonho realizado depois de muito tempo de luta. O município precisava desse serviço para dar respaldo às vítimas e aos profissionais que atuam nessa área”, afirmou a advogada Roseli Ap. Correia, que enalteceu o caráter voluntário dos guardas municipais que atuam na patrulha.

A advogada Ionita de Oliveira Krügner, secretária adjunta da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Rio Claro, também exaltou a medida. “Com a Patrulha Maria da Penha o município pode contribuir para diminuir os números de violência contra as mulheres”, disse lembrando que o Brasil é o quinto país em violência doméstica no mundo e deve implementar ações articuladas para mudar essa realidade.

“Esse projeto é fruto de vontade política e mobilização da sociedade”, declarou o prefeito Juninho da Padaria. De acordo com ele, Rio Claro se destaca com a criação do serviço. “Bom seria que a patrulha não fosse necessária, porém já que as agressões contra as mulheres são uma triste realidade, é importante que tenhamos mecanismos para combater essa prática e amparar da melhor forma possível as vítimas”, pontuou.

Para o vice-prefeito e secretário de Segurança, coronel Marco Antonio Bellagamba, a Patrulha Maria da Penha é uma nova modalidade de policiamento que fará visitas sistematizadas às mulheres agredidas. “Nossa expectativa é que em pouco tempo possamos obter resultados positivos com redução dos casos de agressões contra mulheres na cidade”, assinalou Bellagamba, agradecendo o apoio de órgãos públicos e entidades que são parceiras nesse projeto.

O deputado estadual Aldo Demarchi ressaltou o trabalho em harmonia para viabilizar a patrulha, assim como foi feito para a reativação da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) no ano passado. O vereador Ruggero Seron, autor do projeto que deu origem à lei que instituiu a Patrulha Maria da Penha, falou da alegria com a criação do serviço e também da tristeza da sociedade, patriarcal e machista, ainda precisar desse tipo de ferramenta para proteger as mulheres.

Também participaram do evento a secretária municipal do Desenvolvimento Social, Érica Belomi; a superintendente do Arquivo Público, Monica Frandi Ferreira; Luciana Engle, representando o presidente da Câmara Municipal, André Godoy; os vereadores Júlio Lopes e Adriano La Torre; o comandante da GCM, Luís Fernando de Godoy; o superintendente do Daae, Paulo Bortolotti; Adriano Marchi, presidente da Comissão de Segurança da OAB; delegado Carlos Alberto Schio Filho, da DDM; major André Viana e tenente Jone César, da Polícia Militar; além de policiais, guardas municipais e convidados.