Numa reunião de negócios conversávamos sobre a importância do trabalho em equipe, da união das habilidades de cada um para o fortalecimento do todo, quando uma colega (Francine) falou: “A equipe é como comida: arroz sozinho é ruim, mas se colocarmos sal, cebola e acrescentarmos feijão fica uma delícia.”

Pois bem, vim pensando nessa comparação; uma analogia perfeita para a vida. Nossa vida pode ser entendida como a mágica da culinária: dependemos da alquimia da preparação e mistura dos ingredientes para que o prato final seja apetitoso e saudável.

Na vida encontraremos sempre pessoas de todos os tipos de tempero: as com sal, que nos elevam a pressão; nos aceleram, mas ao mesmo tempo realçam nossas qualidades e nos tornam melhores quando estamos juntos. Pessoas pimentas: aquelas que às vezes nos queimam, nos irritam, mas, na verdade, são importantíssimas para nos ensinarem a tolerância e compaixão. Não vamos esquecer que se a pimenta for adicionada ao doce e bem preparada pode até se tornar uma geleia deliciosa.

Encontraremos também as pessoas salsinhas, que em princípio não nos parecem tão fortes, tão diferenciadas, mas quando nos juntamos a elas e aprendemos a misturar no momento certo e em temperaturas corretas tornam-se extremamente perceptíveis, fazendo a diferença num prato.

Há também as pessoas açucares. São doces por natureza, nos aconchegam e acalmam. Mas, assim como o açúcar, precisamos tomar cuidado, pois em excesso podem nos sufocar e nos fazer acomodar ou enjoar.

Por fim, esbarraremos com pessoas manteigas. Extremamente versáteis, podem ser salgadas a ponto de nos motivar, nos agitar; sem sal para que o nosso “sabor” se sobressaia; duras se esquecidas na geladeira ou derreterem quando a aquecemos ou a manuseamos.

Todos os ingredientes são fundamentais numa boa cozinha. Podem ser bem utilizados e misturados para transformar essa arte de combinar numa magia que seduz e encanta os mais variados paladares. O que importa, assim como na vida, é a dosagem e a maneira como cada ingrediente será adicionado à receita. Porém, todos têm sua função e precisam ser valorizados para que o produto final seja alcançado.

Diariamente precisamos preparar nossos “pratos”. A maneira fará toda a diferença para que possamos elaborar as receitas com os ingredientes que teremos naquele dia. É importante observar para que não comecemos com o fogo na temperatura errada.

Claro que toda culinária envolve alguns possíveis dissabores, alguns pratos que passarão do ponto, mas, e daí? Culinária é uma arte, precisa ser inventada todo dia, porque assim como a vida a mesmice cansa e não estimula os sentidos.

Finalizo com um poema de Cris Pizzimenti: “Encantar-se é temperar a vida com a mágica alegria de viver… Que na vida nunca nos falte uma pitada de encanto”.

Alessandra Cerri é professora, especialista em educação para a terceira idade e sócia-diretora do Centro de Longevidade e Atualização de Piracicaba (Clap).