A Câmara Municipal realizou, na noite de segunda-feira, (23/7) a solenidade para a entrega da medalha Produtor Rural. A homenagem segue Decreto Legislativo de autoria do vereador Julinho Lopes (Progressistas) que presidiu a sessão. A Mesa Principal contou também com o deputado estadual Aldo Demarchi (DEM), vereadores Geraldo Voluntário (DEM) e Val Demarchi (DEM).

Os vereadores Seron do Proerd (DEM) e Adriano La Torre (Progressistas), o secretário municipal de Agricultura Emílio Cerri e o ex-presidente da Câmara Municipal Manoel José Silva participaram do evento no Plenário.

Neste ano, os homenageados foram: José Antônio Botacin, do Sítio Lagoa Grande, que conta com 100 anos de vida, Sueli Maria Zambone Soares da Chácara Vista Verde, Edison Mauch apicultor do Sítio Ribeirão das Águas, Maria Luiza Pinto do distrito da Assistência e Luiz Francisco Nalin que atua na criação de gados e produção de leite.

“Aqui, estamos diante de pessoas que trabalham diariamente, desde as primeiras horas do dia, para garantir o alimento que nós colocamos em nossas mesas”, destacou Julinho Lopes. “Os homenageados retratam a vida no campo de pessoas que faça sol ou chuva, frio ou calor estão lá trabalhando sete dias por semana na produção agrícola”, acrescentou o parlamentar.

A menos de um mês de completar 101 anos de vida, José Botacin, que desafio os limites impostos pelo tempo e se mantém no campo com a enxada nas mãos deixou a seguinte mensagem: “O trabalho dignifica o homem. Isso nunca vai mudar. A terra é abençoada”.

Momento de muita emoção na solenidade, a homenageada Maria Luiza utilizou provérbio africano para resumir seu sentimento ao receber a medalha: “Se você tem um projeto para um ano, plante um grão, se você tem um projeto para 10 anos, plante uma árvore, se você tem um projeto para uma vida, eduque uma criança”.

Enéas Fergson recebeu a Medalha de Honra ao Mérito como reconhecimento a suas inúmeras atividades junto a Casa da Agricultura

A medalha de Honra ao Mérito foi entregue a Enéas Antonio Fergson atuante produtor rural e profissional de grande importância à frente da Casa da Agricultura ele foi o responsável por inúmeras atividades de grande importância para o desenvolvimento da agricultura em nossa região. Como topógrafo demarcou área e sempre foi a ponte entre o produtor rural e o poder público, quem o conhece pode-se dizer ele é a voz do produtor rural.

A família Botacin participou da solenidade em homenagem ao patriarca José Antônio Botacin

José Antônio Botacin – Rio-clarense, nascido no Sítio Lagoa Grande, tem 100 anos de vida, e no próximo dia 22 de agosto completará 101 anos de vida. Casado com Maria Bonaldo Botacin (in memorian) com quem teve 5 filhos: Ademar, Valdinéia, Marival, Aparecida e Valdir. Filho de italiana, o homenageado chegou ao Brasil com apenas 10 anos.José Antônio Botacin perdeu seu pai precocemente, com apenas 3 anos de vida, e é integrante de uma família de  quatro irmãos e quatro irmãs.Trabalha como agricultor desde menino no cultivo de grãos e hortaliças e até os dias de hoje tem a mesma rotina: acordar bem cedo e trabalhar no cultivo das hortaliças. Não faz uso de medicação e toma uma taça de vinho diariamente antes do jantar. Tem como lema o trabalho e afirma com convicção que “trabalhar com a enxada não é pesado”

A produtora de hortaliças Sueli Maria Zambone Soares se emocionou com a homenagem recebida pelo Legislativo

Sueli Maria Zambone Soares – Natural de Aparecida D’Oeste na região de Jales e há 46 anos reside em Rio Claro, primeiramente na rua M-7 no Cervezão e atualmente na Chácara Vista Verde. É casada com Agenor Soares de Moura e tem uma filha Geovana Gomes Cintra. No município de Aparecida D’Oeste trabalhava com laticínio e lavoura.  Trabalhou também como caseira em várias chácaras e também fora do país. Na Itália por 3 anos conseguiu juntar recursos financeiros para adquirir finalmente seu pedaço de terra no Brasil, precisamente em Rio Claro, o qual recebeu o nome de Chácara Vista Verde, onde cultiva hortaliças.

O apicultor Edison Mauch um dos destaques na produção de mel em nossa região

Edison Mauch – Rio-clarense, apicultor, casado com Maria dos Anjos Pereira Mauch, tem três filhos Élder, Edmilson e Heraldo. Residem no sítio Ribeirão das Araras.  Atua há mais de 50 anos na produção de mel. Toda a produção é comercializada, na merenda escolar e em outros pontos diversos. O casal possui atualmente com 600 enxames, com 70 abelhas cada. “Trabalhamos com muito amor e carinho, na produção de mel, essa rotina já faz parte da nossa vida !”, frisa o homenageado.

Maria Luiza Pinto demostra grande orgulho por sua atividade

Maria Luiza Pinto – Nasceu em São Paulo mas sempre residiu em Rio Claro. Filha de Gualter Pinto Neto e Neyde Schiess. É casada com Sérgio Luiz e tem dois filhos: Rafaela Kaori Kamachi e Gabriel Kenji Kamachi.  Graduada em Artes Plásticas e Pedagogia pela UNAR de Araras, possui curso técnico de Nutrição pela Instituto Paula Souza de Limeira e especializada em Gestão Ambiental pelas Faculdades Claretianas de Rio Claro.  Lecionou artes plásticas para os alunos das redes pública, privada e estadual durante 17 anos. Trabalhou também durante 5  anos, com gastronomia, quando foi proprietária de rotisserie. Com o passar dos anos decidiu trabalhar e dedicar-se aos seus projetos de vida através da produção de verduras hidropônicas, criação de aves, peixes e realizar seu sonho que é promover o turismo pedagógico e rural. É uma mulher feliz e realizada profissionalmente. Reside no distrito de Assistência há quatro anos, em ampla área, onde desenvolve seu projeto de vida, com o apoio e o auxílio de seu marido Sérgio Luiz. Se autodefine nas palavras do provérbio africano: “Se você tem um projeto para um ano, plante um grão, se você tem um projeto para 10 anos, plante uma árvore, se você tem um projeto para uma vida, eduque uma criança”.

Luiz Francisco Nalin um dos premiados destaques pela produção de leite

Luiz Francisco Nalin – Rio-clarense, tem dois irmãos Sueli e Antônio Carlos e também, dois filhos: Luiz Guilherme e Iasmin Keila.  Trabalha com criação de gados e produção de leite desde os 10 anos de idade. Ao lado de seu pais e do irmão nunca mediu esforços para exercer o árduo trabalho pesado, que aprendeu com seus avós Luiz Nalin e Verginia Torezan Nalin. Tem uma rotina diária intensa que inicia-se no raiar do sol e finda-se muitas vezes quando já é noite. Nesses longos anos sempre trabalhou com amor e dedicação e jamais sonhou laborar em outra área. É um homem que não teme o trabalho, possui determinação e perseverança.