Bebê está internada em Rio Claro há mais de um mês — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV
Anuncie aqui

Justiça determinou pela segunda vez que o estado faça a operação sob multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Uma família haitiana que mora em Rio Claro (SP) enfrenta um mês e meio de angústia. A filha do casal nasceu com um problema grave no coração e precisa de uma cirurgia urgente.

Mesmo com uma decisão da Justiça, obrigando o estado a garantir a operação, a bebê continua internada à espera de uma vaga.

Anuncie aqui

A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde informou na quarta-feira (16) que a Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross) conseguiu uma vaga para a menina.

A criança deve ser transferida nesta quinta-feira (17) para o Hospital das Clínicas da Unicamp, em Campinas, onde vai ser operada.

Drama dos pais

Casal haitiano mora em Rio Claro há quatro anos — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

O pai da menina, Ronald St Phar, veio com a mulher para o Brasil há quatro anos. A bebê Mariana nasceu na Santa Casa de Rio Claro no dia 31 de agosto e nunca pôde ir para casa. Ela segue entubada há mais de um mês na Unidade de Terapita Intensiva (UTI) neonatal.

A angústia da mãe fica cada dia maior porque não pode amamentar a filha, nem sequer segurá-la no colo. A mulher, que não fala português, vai todos os dias ao hospital tirar leite para a filha.

No dia do nascimento, a bebê foi diagnosticada com síndrome do coração hipoplástico, doença grave que precisa de cirurgia urgente para correção do problema.

Decisão da Justiça

Defensor público de Rio Claro Adriano Pinheiro Machado Buosi — Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV

Segundo a família, no dia seguinte ao nascimento menina foi colocada no sistema Cross, mas a cirurgia não foi feita. Os pais procuraram pela Defensoria Pública e conseguiram na Justiça que o estado fosse obrigado a fazer o tratamento sob multa diária de R$ 10 mil até o limite de R$ 100 mil.

Segundo o defensor público Adriano Pinheiro Machado Buosi, a decisão foi descumprida por parte do estado.

“Foi realizado um novo pedido de aumento da multa diária de R$ 100 mil até o limite de R$ 1,5 milhão. Até o momento, embora concedido o pedido, não foi cumprida a decisão”, disse.

Buosi já pensa em novas medidas para garantir o direito de Mariana, que luta contra o tempo para se manter viva.

“De acordo com a equipe médica que atende a menina, a qualquer momento ela pode vir a óbito. Até agora ela tem resistido.”

Fonte: G1 São Carlos e Araraquara

Anuncie aqui