Botafogo venceu o Rio Claro pelo NBB 2019/2020 — Foto: Divulgação/ NBB
Anuncie aqui

Com Jamaal e Diego, cariocas venceram por 92 a 72 no ginásio Oscar Zelaya

Mesmo desgastado pela disputa da Sul-Americana, o Botafogo-RJ aplicou um placar elástico sobre o Rio Claro neste domingo (8) no ginásio Oscar Zelaya e ainda briga por vaga para a Copa Super 8 do Novo Basquete Brasil 2019/2020.

Depois de dois períodos bem equilibrados, em que os paulistas chegaram a comandar o marcador, o time do técnico Leonardo Figueiró aproveitou o apagão do adversário a partir do terceiro quarto e fechou a disputa em 92 a 72, tendo Jamaal e Diego como cestinhas, com 19 e 17 pontos.

Anuncie aqui

O Rio Claro, com a estreia sem pontuação do argentino Figueroa, ainda teve o cestinha da partida, Gerson, com 20 pontos, jogador que também fez 8 rebotes.

A vitória garante ao Botafogo a décima posição na classificação geral, com 17 pontos e 41,7% de aproveitamento. O time agora se prepara para enfrentar o Corinthians no segundo jogo da final da Liga Sul-Americana, na quinta-feira (12), às 20h40, em São Paulo. Pelo NBB, os cariocas voltam a se apresentar contra o São José, no dia 18.

Com 15 pontos e 36,4% de aproveitamento, o Rio Claro acumula a sétima derrota no campeonato e se complica, na 12ª posição. Os paulistas têm adiante os dois líderes do NBB. Primeiro será o Flamengo, primeiro colocado, na terça-feira (10), às 20h, na Arena Carioca 1. Na sequência, pega o vice-líder Franca, na sexta-feira (13), no ginásio Felipe Karam.

O jogo

Só com vitórias fora de casa na competição, no início do jogo o Rio Claro chegou confiante e soube aproveitar o desgaste do Botafogo, que vinha de um jogo contra o Corinthians pela final da Liga Sul-Americana durante a semana, abrindo com um placar de 14 a 2. Além de neutralizar as jogadas dentro do garrafão, com forte marcação, a equipe do técnico Fernando Penna aproveitou tiros de longa de distância com Baxley, Ruiz e Pedro e foi melhor nos rebotes defensivos.

O técnico Leonardo Figueiró pediu tempo e corrigiu a marcação, melhorando a posse de bola, a transição e os ataques do time da casa, que encostou no marcador, em 25 a 24 para o Rio Claro no primeiro quarto. O equilíbrio se manteve no segundo período, quando os cariocas conseguiram virar, em 45 a 42, graças às quatro cestas de três marcadas por Mogi, Diego, Du Sommer e Jamaal.

O Botafogo voltou para o terceiro período melhor na marcação e eficiente nas conversões, enquanto o Rio Claro, apagado, chegava precipitado aos ataques, perdendo pontos importantes – foram apenas quatro marcados em cinco minutos de jogo. Com tiros de longa distância de Jamaal, Du Sommer e companhia, o time de Figueiró foi abrindo folga no marcador, que ficou em 17 pontos ao término do quarto, com a parcial de 72 a 55, mesmo com a entrada de Enzo Ruiz.

Os paulistas não demonstraram reação e a diferença só aumentou no último período, com Freddie e Jamaal acertando de três, além de jogadas bem sucedidas dentro do garrão com Coelho, Lucas, Wesley e Arthur.

Escalações

Botafogo: Cauê, Jamaal, Coelho, Du Sommer e Arthur. Suplentes: Mogi, Paulinho, Jackson, Diego, Wesley, Lucas, Freddie. Técnico: Leonardo Figueiró Alves

Rio Claro: Gerson, Ansaloni, Pedro, Ruiz e Sahdi. Suplentes: Thiaguinho, Lucão, Pastor, Baxley, Figueroa e Lelê. Técnico: Fernando Feres Penna

Fonte: globoesporte.com

Anuncie aqui