Anuncie aqui

Em dois anos, prefeitura investiu mais de R$ 1 milhão em quatro editais culturais.

O prefeito de Rio Claro, João Teixeira Junior, assinou na terça-feira (11) 17 contratos referentes aos editais culturais 1 e 2 de 2019, lançados pelo município para a seleção de projetos que incentivem a cultura na cidade. A prefeitura vai investir R$ 275 mil nesses projetos que são voltados para a promoção de oficinas culturais e artísticas em benefício da comunidade. São R$ 200 mil destinados a oito projetos de circulação de espetáculos e realização de eventos culturais (edital 1) e R$ 75 mil para cinco projetos de bolsa de aprimoramento técnico-artístico (edital 2).

Juninho observou que a maior parte do orçamento municipal é destinada às áreas de recursos humanos, educação e saúde, sobrando pouco para as demais secretarias. Por isso, os recursos têm que ser muito bem utilizados e valorizados. “Mesmo com dificuldades financeiras temos conseguido atender a cultura e algumas das reivindicações da comunidade artística. Vocês estão tendo o privilégio de terem projetos contemplados e com isso têm a responsabilidade de trabalhar pelo bem comum”, disse o prefeito aos proponentes.

Anuncie aqui

Nos últimos dois anos, a prefeitura investiu mais de R$ 1 milhão em quatro editais culturais. Foram R$ 485 mil em 31 projetos culturais em 2018, R$ 288 mil 16 projetos de oficinas no ano passado e R$ 275 mil neste ano. “Essa é uma política inédita em Rio Claro que atende antiga reivindicação dos artistas. Rio Claro é a única cidade no interior paulista a fazer políticas públicas efetivas para a cultura com recursos próprios, de forma democrática e transparente”, destacou a secretária municipal de Cultura, Daniela Ferraz. “Esse é o maior legado que será deixado pela administração na área de cultura”, completou Daniela, que agradeceu o trabalho e o empenho dos artistas na promoção de cultura.

Há dez anos trabalhando no setor cultural, Welton Leandro de Nadai, parabenizou o trabalho realizado pela prefeitura, por meio da Secretaria da Cultura, para fomentar atividades culturais e solicitou que a iniciativa tenha continuidade. “A secretaria conseguiu criar uma gestão técnica e forte, agora precisa ampliar e planejar a longo prazo para que Rio Claro possa se transformar num pólo cultural”, pontuou.

No edital 1 foram selecionados os projetos “Cinema, Infância e Juventude” da proponente Isadora Maria Torres, “Da Silva – Vozes da Negritude” (Bruno Nicoletti), “Ritmos do Brasil” (Eduardo Barsotti de Souza), “Domingo no Parque” (Marcela Gonçalves Chiapina), “Força Mulher” (Tássia Martins Guarnieri), “Monta (Ação)” (Pedro Marques da Silva), “Câmbio Negro” (Osmar Vinícius Padula Júnior) e “Acessart” (Caroline Heloise Nascimento).

No edital 2 foram contemplados os projetos “Aprimor Arte” do proponente César Moreira Oliveira, “Oficina de Aprimoramento: Fotografia e Direção Cinematográfica” (Gustavo Barbosa Dumas), 9º Seminário de Violão de Rio Claro (Welton Leandro de Nadai), “Memórias de Alice: Uma investigação cênica inspirada no livro ‘Alice no País das Maravilhas’” (Daiane Baumgartner de Souza) e “Vivência Cultura Reggae” (José Eduardo Pereira da Silva).

Anuncie aqui